1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Wi-Fi e a Saúde

Discussão em 'Dúvidas e Suporte—Internet, Redes, Segurança' iniciada por fabio_k, 24 de Maio de 2008. (Respostas: 50; Visualizações: 10493)

  1. fabio_k

    fabio_k Power Member

    Bibliotecas de Paris desligam redes wireless

    O temor de que as redes sem fios causem interferências na saúde humana já fez cinco bibliotecas parisienses desistirem desta tecnologia. [​IMG] Segundo o jornal Le Monde, esta semana a famosa biblioteca de Sainte-Geneviève, em Paris, decidiu aderir à onda "dizer não às redes wireless" para evitar supostos problemas à saúde humana. Sainte-Geneviève foi a quinta biblioteca na cidade, em seis meses, a desistir desta tecnologia de ligações sem fios. Consultas à Internet, agora, só podem ser feitas de se o leitor ligar o portátil a pontos de rede disponíveis nas bibliotecas.

    Trabalhadores destes estabelecimentos argumentam que não há certeza médica sobre a segurança de se expor por várias horas, todos os dias, às frequências da Internet sem fios. Alguns bibliotecários criaram a expressão “mal do Wi-Fi” para definir sensações de vertigem, náuseas, insónia e dores de cabeça supostamente causados pela exposição a esta tecnologia.
    Em 2007, uma discussão similar fez um sindicado de professores do ensino básico em Inglaterra exigir estudos médicos aprofundados sobre o tema. Na ocasião, especialistas ingleses a serviço do Ministério da Saúde concluíram que a tecnologia WiFi não causa mal à saúde.

    Fonte: Exame Informática (Portugal), Maio 2008

    |||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||

    Wi-Fi oferece riscos à saúde, diz pesquisador

    O pesquisador, Lawrie Challis, chefe de um comitê de saúde estatal inglês criticou o uso de laptops com Wi-Fi.

    Em relatório preliminar entregue aos representantes da Health Agency, equivalente ao ministério da Saúde na Inglaterra, Challis criticou especialmente o uso de laptops com conexão sem fio à internet quando estes equipamentos estão apoiados no colo dos usuários.

    Para Challis, o receptor do sinal Wi-Fi fica muito próximo às pernas do usuário, o que seria um risco, já que este tipo de uso aumentaria a exposição do usuário a radiações da conexão. Challis afirma que quando o receptor fica em um CPU, como no caso dos Desktops, esta é uma distância segura para isolar os eventuais malefícios do sinal Wi-Fi.

    Ao jornal inglês Daily Telegraph, o cientista afirmou que escolas e pais devem orientar seus filhos a não usar laptops apoiados no colo, especialmente quando navegarem em conexões sem fio.

    Há uma semana, o Reino Unido vive um debate sobre a segurança das redes Wi-Fi. A polêmica começou quando o sindicato nacional dos professores pediu à Health Care um estudo detalhado dos riscos que este tipo de tecnologia pode oferecer para a saúde humana.

    Fonte: Exame Informática (Brasil), Abril 2007

    |||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||

    WiFi - General position

    There is no consistent evidence to date that WiFi and WLANs adversely affect the health of the general population. The signals are very low power, typically 0.1 watt (100 milliwatts) in both the computer and the router (access point) and the results so far show exposures are well within internationally accepted (ICNIRP) guidelines. Based on current knowledge and experience, radio frequency (RF) exposures from WiFi are likely to be lower than those from mobile phones. Also, the frequencies used in WiFi are broadly the same as those from traditional RF applications.
    On the basis of the studies so far carried out in house, the Agency sees no reason why WiFi should not continue to be used in schools. However with any new technology it is a sensible precautionary approach, as happened with mobile phones, to keep the situation under ongoing review so that parents and others can have as much reassurance as possible. That is why our Chairman, Sir William Stewart, has stated it would be timely to carry out further studies as this new technology is rolled out. The Health Protection Agency is discussing this with relevant parties.

    Basics

    WiFi is short for Wireless Fidelity and is a particular type of wireless local area network (WLAN) - i.e., you don't need to plug your computer into a phone network via a cable. There are many types of WLAN but all of them allow two or more computers to form a network using radio frequency (RF) signals. They allow users to access and share data, applications, internet access or other network resources in the same way as wired (cable) systems. For more information, view the Wireless Local Area Networks (WLANs) page
    ICNIRP is the International Commission on Non-Ionizing Radiation Protection. See http://www.icnirp.org

    Key Points


    • There is no consistent evidence to date that exposure to RF signals from WiFi and WLANs adversely affect the health of the general population
    • The signals from WiFi are very low power, typically 0.1 watt (100 milliwatts) in both the computer and the mast (or router) and resulting exposures should be well within internationally accepted guidelines
    • The frequencies used are broadly the same as those from other RF applications such as FM radio, TV and mobile phones
    • Based on current knowledge, RF exposures from WiFi are likely to be lower than those from mobile phones
    • On the basis of current scientific information, exposures from WiFi equipment satisfy international guidelines. There is no consistent evidence of health effects from RF exposures below guideline levels and no reason why schools and others should not use WiFi equipment
    Fonte: Health Protection Agency, Janeiro 2008



    Qual a verdadeira relação entre o WiFi e a Saúde?
     
    Última edição: 25 de Maio de 2008
  2. userN

    userN Power Member

    tudo o que envolva radiofrequência pode ter consequências para a saúde.
     
  3. petersaints

    petersaints Power Member

    Sinceramente já tinha pensado nisso! Não há de ser tão diferente dos telemóveis... e por exemplo as minhas colunas Creative 5.1 (já velhinhas) começam sempre a chiar quando há alta actividade wireless... Alguma interferência há ali.

    Se ondas tiverem energia suficiente podem causar malefícios sem dúvida!
     
  4. DJ_Alex

    DJ_Alex Power Member

    Epa e eu tenho um router WRT54G a 251Mw aqui ao meu lado e estou no PC mais de 12h por dia! Será que vou morrer mais cedo? looooooooool

    Se o WIFI fizesse mesmo assim tão mal, já teria sido retirado do mercado! Não há ainda nenhum estudo científico que comprove que o WIFI tem efeitos nocivos pra saúde... Por isso meus amigos.... RELAX...

    Se os Franceses estão a acabar com o WIFI é problema deles, mania dos franceses, assim poupam dinheiro... e a ligação não satura pk com WIFI podem pendurar logo 200PCs e com ethernet se houver 20 tomadas já é uma sorte... lol
     
  5. userN

    userN Power Member

    é facto que a radiofrequência tem consequências.
    ou não me digas que não sabes como funciona um microndas? sabes como descobriram o microndas? eu digo-te, para o caso de não saberes, puseram a comida em frente a um radar e ela aquecia.
    os telems foram retirados do mercado? pois... fica uma hora a falar e vê se a temp da tua cabeça aqueceu ou não, pequeno microndas trazemos nós no bolso todos os dias.
    óbvio que um router não te vai fazer nada, (em principio), agora se as cidades ficarem inundadas de radiofrequencia dos telems, mais wifi, wimax, etc. ninguém sabe no que pode resultar.
     
  6. nickie

    nickie Power Member

    O amianto tb não fazia mal e depois foi o que se viu. Uso wifi, mas de facto isto começa a ficar complicado
     
  7. userN

    userN Power Member

    já agora mais uma acha para a fogueira...
    como funcionam certos tratamentos para o cancro? radioterapia.
    não digo mais nada, acho que já foi assustador de mais.
     
  8. CoisaX

    CoisaX Power Member

    Wireless emite radiação como tudo. Como o telemóvel, como as televisões, como o Sol, como tudo. Por isso ou andamos com um fato anti-radiação pela casa ou vamos viver para uma gruta sem tecnologia.

    De qualquer forma, afinal, não são só os funcionários públicos portugueses que "inventam" o edificio doente LOL
     
  9. userN

    userN Power Member

    inventam? hmm está bem...
     
  10. petersaints

    petersaints Power Member

    É que o Wi-Fi usa 2.5GHz que é a mesma banda dos micro-ondas (daí quado ligas um micro-ondas em casa lá fica o wireless todo atrofiado) por isso dependendo da força do sinal pode fazer mal ou não... Malta com routers de 3 antenas em casas pequenas deve ser bonito deve (conheço casos de malta com T2 e T3 com routers da Linksys com três antenas).
     
  11. CoisaX

    CoisaX Power Member

    Eu além do wireless do router, thomson da Meo, tenho mais 2 AP da Dlink a funcionar em bridge. E no meio disso tudo já atendi o telemovel , com o Microondas a trabalhar.. Se ouvirem um zumbido por aí.... xD
     
  12. zemgl

    zemgl Power Member

    bem qualquer dia precisamos daqueles fatos que o Gordon Freeman no half life. :p
     
  13. Liteflame

    Liteflame Power Member

    Não havia um gajo qualquer que queria tornar uma cidade completamente sem fios? Isto é... a alimentação eléctrica dos aparelhos ser toda sem fios? E que o gajo dizia que não havia risco nenhum....8|:lol:
     
  14. Bensan

    Bensan Power Member

    Eu tenho um router da Asus com 3 antenas, a difundir wireless N e tenho um gateway da Linksys que serve de AP a difundir wireless G.

    São 4 antenas no total!

    É verdade que a radiação electromagnética, quanto mais energética for, mais prejudica a saúde humana.

    Mas aproveito para deixar o desafio: se a gama de radiação visível (luz) é mais energética (entre 400.000GHz e 750.000GHz) que as redes wireless e microondas (entre 3GHz e 30GHz), então é mais prejudicial estar exposto a luz visível do que a esse tipo de radiofrequências.
     
  15. Liteflame

    Liteflame Power Member

    Mas é possível uma determinada radiação ser mais energética que outra, embora tendo menor frequência, mas maior amplitude. Há uma fórmula que relaciona a energia com a frequência e a amplitude da radiação, mas já não me lembro qual.

    Hah! Falta falar da intensidade da radiação em questão!
     
  16. Ola o meu nome é Manuel e tenho um enorme problema de saude por causa do WiFi.
    Quando em presença de emissores de WiFi tenho terriveis dores de cabeça que vão aumentando conforme o tempo de exposição.
    Quando saio da exposição começo a ficar bem ate nada sentir.
    Podem achar estranho mas é verdade.
    Não tenho qualquer problema com telemoveis ou outros equipamentos que funcionem nama frequencia parecida, mas tudo o que 2,4 Ghz ou mais é de fugir.
    Sou Engenheiro com especialidade em comuicações e como devem perceber o meu dia a dia é feito disto.
    Consultei varios medicos e estou a fazer um tartamento que ameniza as dores mas em presença de fontes sinto sempre.
    Gostaria de saber se alguem em conhecimento de casos similares.
    Conheço uma pessoa dos USA que tem o mesmo problema, tenho um vizinho que se queixa do mesmo em relação ao WiFi e ao Bluetooth , tal como eu.

    É por demais evidente que não vais morrer já. A radiação não mata vai matando.
    Tens tempo para te preparar

    a radiação existe (ou não ? )
    Eu sinto, tenho um radar na cabeça. Em presença de fontes doi-me e não é pouco.
    Fui abençoado, como me doi, tento estar perto o menos possivel
     
    Última edição pelo moderador: 4 de Novembro de 2008
  17. useless

    useless Power Member

  18. nickie

    nickie Power Member

    Lembro-me de hás uns meses atrás ter visto na BBC um caso de uma senhora que tinha precisamente o mesmo problema. Decorre da sensibilidade que cada um tem, o que varia de pessoa para pessoa.
     
  19. God_Lx

    God_Lx Folding Member

    Tal como os placebos... Há malucos para tudo :)

    Tá mais que comprovado que o nivel de energia/radiação o que lhe quiserem chamar não afecta de qualquer forma a nossa saúde... Claro que cada um acredita no que quiser...
     
  20. nickie

    nickie Power Member

    Não, está mais que provado que o corpo humano permite uma determinada tolerância (que varia de pessoa para pessoa) à radiação. Passado esses níveis, podem ocorrer problemas de saúde, sendo o cancro o maior deles todos.

    Não estando relacionado com o assunto wifi, mas no mesmo âmbito, todos os estudos ciêntificos que têm sido efectuados sobre o impacto das antenas de telemóveis têm sido inconclusivos. Isto quer dizer que não há provas irrefutáveis em como não tem qualquer impacto na saúde, mas que também não há provas que possam eliminar essa possibilidade. Estas conclusões derivam, acima de tudo, do facto que esta tecnologia é demasiado recente para se terem observações suficientes sobre o seu impacto a longo prazo. Um cientista responsável pelo centro de investigação oncológica de uma universidade americana qq (não tenho presente a universidade nem tenho o artigo à mão), apesar de não ter conseguido refutar a hipótese de impactos negativos sobre a saúde aconselhou todos os colaboradores a terem cuidado com o uso do tlm e a seguirem um conjunto de precauções, uma vez que, alguma da evidência (mas não a necessária) recolhida apontava para alguns impactos negativos sobre a saúde.

    Obviamente que nem todos vão ficar doentes, mas deverá ser necessário ter algum cuidado. Isto faz-me lembrar a história do amianto e do tabaco. Primeiro não fazia mal nenhum, agora já se sabe que faz. É uma questão de dar tempo para que melhores estudos sejam realizadas e entretanto ter algum cuidado.
     

Partilhar esta Página