1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Zoom "extremo" em fotos como mostram os filmes

Discussão em 'Fotografia e Vídeo' iniciada por Kayvlim, 27 de Março de 2007. (Respostas: 30; Visualizações: 2226)

  1. Kayvlim

    Kayvlim Undefined Moderator
    Staff Member

    Boas!

    Um tema que ainda não vi discutido... toda a gente viu séries ou filmes como 24 ou CSI. Neles, podemos encontrar várias vezes os personagens a ampliar uma foto já tirada (uma coisa é fazer Zoom com uma câmara, outra é fazer Zoom a uma foto). Do tipo, vêm um carro a uma distância considerável, e ampliam a imagem de modo a conseguir ver a matrícula (isto, levando já ao extremo).

    Até que ponto é isto real? E possível? Até que ponto conseguem fazer zoom?

    As câmaras analógicas, que eu saiba, "gravam" a radiação. Logo, acredito que seja possível, a partir do negativo, descobrir inúmeros pormenores que não seriam visíveis numa revelação. Já as câmaras digitais resumem tudo a pixeis, e essa seria uma limitação (tendo em conta que uma matrícula ocuparia ~32 pixeis, é completamente impossível - e isto digo com certeza - ampliar de modo a distinguir os caracteres). Tendo um negativo dessa foto (tirado com uma câmara analógica), acredito que seja possível distinguir (indo bem lá no fundo, na análise das radiações) os caracteres duma matrícula.

    Apesar dos meus ainda fracos conhecimentos a nível de física e química, deixo aqui um tópico num fórum (em inglês) onde se discutiu o que eu queria trazer para aqui: http://www.xtremevbtalk.com/showthread.php?t=256073 (não se queixem do meu inglês, nem dos meus fracos conhecimentos que tinha naquela altura a nível de física e química [​IMG])

    Acho este tema interessante, assim como uma discussão sobre ele :) Mandem as vossas postas!

    Cumprimentos
    angelofwisdom
     
    Última edição: 27 de Março de 2007
  2. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    Boa questão!

    Também desperta-me a curiosidade tal prodígio... As vezes eles fazem resultados de duvidar, fixar frames de uma camera de segurança e voilá! zoom and redefine!
     
  3. Jintro

    Jintro O Colaborador

    Caríssimo Angel, tens que ver o Blowup do Michelangelo Antonioni. E podes ler isto também, sei que não é muito técnico mas julgo que também te interessem a vertente mais filosófica da coisa.
     
  4. Kayvlim

    Kayvlim Undefined Moderator
    Staff Member

    Realmente nunca tinha pensado na parte filosófica da fotografia. Ainda sou daquelas pessoas que apenas tiram fotos "apenas" para ficarem com um registo do momento =\
    Li o teu post rapidamente e achei interessante. Quando o ler com mais calma (entenda-se, quando tiver tempo para o ler na íntegra), deixo-te lá um comment... :)

    Quanto ao Blowup do M.A., onde é que posso ver esse filme, ou arranjá-lo? A história acabou por me interessar :x
    Isto tudo, na parte "filosófica" da fotografia.

    Quanto à parte técnica, opiniões são bem vindas :P
     
  5. ruimoura

    ruimoura Power Member

    A nível técnico, não me parece minimamente viável algumas coisas que se vêm em séries como o CSI, nomeadamente aquelas ampliações e redefinições de resolução em fotos.

    Fazer a ampliação é, obviamente possível, agora focar um quadrado, de, por exemplo, 100px numa foto enorme, ampliar e depois redefinir a imagem dentro desse quadradinho não me parece possível. Claro que haverá algoritmos de processamento muito avançados para estes fins, mas o que se vê é um exagero.

    Reparem no caso recente daquele bebé que foi roubado num hospital. A polícia tinha duas imagens, nada nítidas, tiradas por uma câmara de segurança. Com a técnica usada no CSI, sacavam a cara da raptora num instante. Ora isso não aconteceu, como se sabe, uma vez que eles próprios admitiram que as imagens tinham muito pouca definição e qualidade.

    O teste pode ser feito por qualquer um de nós. Tirem uma foto, na maior resolução possível, com uma qualquer pessoa a uma grande, mesmo muito grande distância, com que só se veja mesmo que está ali alguém, mas não dá muito bem para ver a cara. Depois recortem essa parte, e ampliem, metam-lhe filtros de sharpning, softing ou o que vos der na gana, e avaliem os resultados. Um pixel é um pixel. E depois a questão secundária da rapidez. Num core2 duo com 2 gigas de RAM demoro quase 1 minuto a aplicar um filtro a uma foto com 15 megas (digikam, linux). Com o meu P4 demoro quase 5 minutos.

    Ou seja, é tudo treta.
     
    Última edição: 28 de Março de 2007
  6. timber

    timber Zwame Advisor

    Se a foto original tiver origem num sensor com bastantes MP é possível que um "zoom" permita ver muitos pormenores extra.

    É preciso ver que uma foto de digamos 10 MP (sensor 4/3 como a maioria das câmaras comapctas) a 72 dpi (monitor) vista a 100% fica com um tamanho de 1,3 metros por 1 metro.

    Agora milagres só na Bíblia
     
  7. Kayvlim

    Kayvlim Undefined Moderator
    Staff Member

    Nem mais :-D

    Quanto às câmaras digitais, eu também tenho a certeza de que é impossível ampliar ~10x50 pixeis para ver todos os caracteres da matrícula.
    A minha questão é ... tendo em conta que as câmaras analógicas gravam a radiação ... epah, eu fico com a sensação de que é possível ir "mais fundo", e conseguir apanhar algo extremamente distante. A minha dúvida encontra-se aí... até que ponto é possível distinguir informação "extra" numa foto tirada por uma câmara analógica que não se encontra numa foto tirada por uma digital? Eu acho que não consigo fazer passar o que tenho em mente ... é que para mim, uma foto digital tem apenas, imaginemos, 1280x1024 pontos. Nada mais. Mas uma foto analógica tem "o mundo" registado nela ...

    Se a minha escola ainda tivesse o clube de fotografia, estava capaz de me inscrever, só para aprender como se trabalha a nível técnico com uma câmara "analógica" e como se revela, e as diferenças entre o material dos rolos... para aprender mais sobre o tema :(

    edit - tentando traduzir, há limitações numa foto digital, porque todo o momento é registado em pontos. Mas que limitações tem uma foto tirada por uma câmara analógica? Melhorando o material do rolo usado, não dará para uma foto ter mais pormenores ainda? (ou tenho mesmo muito que aprender e estou completamente errado? :x )
     
    Última edição: 28 de Março de 2007
  8. timber

    timber Zwame Advisor

    As câmaras analógicas também tem limitações técnicas em termos de resolução nomeadamente devido ao espaço entre os cristais de prata (que são os elementos foto sensíveis) que constituem a película.

    Podem até conceptualmente ser imaginados como os pixeis. No entanto tem uma distribuição mais aleatório na película.
     
  9. jpvaz

    jpvaz Power Member

    80% do que vemos em séries como 24 ou CSI é completa e absolutamente impossível.

    Ainda ontem vi um episódio de CSI onde tiraram uma frame de uma camara de vigilancia com a imagem de uma personagem que era a suspeita. Após escolherem a frame, fizeram um rotate no plano horizontal onde sem dados adicionais o computador automáticamente re-compoz o resto da imagem, e após essa re-construção ampliaram a imagem até só se ver (e com bastante detalhe) o reflexo de outra pessoa na irís do olho da suspeita....

    Até um certo ponto, pode-se recuperar dados à primeira vista não visíveis... mas nada perto do que é retratado em séries e filmes. E ainda mais impossível é recuperarem dados ha velocidade que eles recuperam.

    Tens várias empresas (principalmente nos USA) em que o trabalho deles é unica e exclusivamente recuperar imagens a partir de suportes analógicos, camaras de vigilancia e até recuperar o detalhe em imagens da NASA tiradas pelo Hubble. Essas empresas, demoram semanas quando não é meses a recuperar esses dados.
    Isso demora bastante tempo porque normalmente são criados de raiz algoritmos personalizados para cada caso.

    Não tens no mercado nenhum algoritmo, para uso generalizado, que consiga recuperar a quantidade de informação que eles recuperam nos episódios dessas séries e muito menos no tempo que eles demoram a recuperar.
     
  10. fernandes

    fernandes Power Member

    também vi esse episódio. deu para rir um bocado e mesmo assim já não é a primeira vez que exageram nesse tipo de técnica.
    para fazer o que eles fizeram (mesmo sem a parte da rotação que "ninguém" deve ter reparado) era preciso uma camera de umas boas centenas de mpixeis. :-D
     
  11. Feiticeiro

    Feiticeiro Power Member

    Dá-me vontade de rir nessas séries, quando eles fazem zoom de uma imagem pixealizada?! e fica-se a ver nitidamente a imagem. É ficção pessoal.
     
  12. ruimoura

    ruimoura Power Member

    Em relação ao filme analógico a diferença não é, no fundo, muita. Enquanto que o digital é composto por pixels, o filme é composto por "grãos", que, como já foi dito, podem ser equiparados aos pixels. Se a informação não está na imagem, ninguém a pode inventar, nem ninguém a pode introduzir lá, sendo digital ou filme, e tem que se partir deste princípio para analisar os casos descritos em que se parte de imagens borratadas, sem nitidez, e com uma resolução baixíssima para obter imagens nítidas.

    É simplesmente impossível. Não interessa que seja digital ou filme.
     
  13. Kayvlim

    Kayvlim Undefined Moderator
    Staff Member

    Então é isso. Eu não considerava os "grãos". Para mim, era simplesmente um papel :P daí eu pensar que toda a informação ficava lá "colada".
    Nesse caso, a evolução das máquinas digitais pode muito bem torná-las superiores às analógicas, em termos de qualidade, correcto? Isto, sei que é bastante discutido, mas desta forma tudo passou a tomar outro sentido para mim.
     
  14. bluei16_

    bluei16_ Banido

    Só para vir destoar um pouco... não concordo com uma afirmação que diz que não podemos criar informação a partir de uma determinada foto digital. Podem-se criar algorítmos que prevejam como a imagem seria na realidade... e creio que se faz isso... claro que com determinados limites, mas é possível
     
  15. ruimoura

    ruimoura Power Member

    Verdade. Mas isso é uma história completamente diferente ...
     
  16. bluei16_

    bluei16_ Banido

    É? Porquê?
     
  17. ruimoura

    ruimoura Power Member

    Porque isso não tem nada a ver com o que se falou aqui. Isso são algoritmos baseados em idade, constituição física, etc, que tentam "adivinhar", por exemplo, a cara de uma pessoa desaparecida à muito tempo. Esta técnica exige dados secundários, como a referida constituição física da pessoa, possivelmente fotos de familiares, etc.

    Se pegares numa foto com uma resolução maravilhosa, sem nitidez e na qual não consigas distinguir uma face, de um modo nítido, não há algoritmo que te valha, porque esse algoritmo ia basear-se em que para tentar encontrar a face da pessoa? No tarot da maia?

    Ou então pegar numa imagem com 30 ou 40 pixels, toda borratada, e ampliá-la algumas 20 vezes e tirar dali uma foto nítida ... Baseado em quê? Na adivinhação, só se for.

    O exemplo descrito é utilizado com uma boa foto de uma pessoa, ou seja, o algoritmo sabe como é a cara da pessoa, independentemente da idade. Se não souberes como é a cara da pessoa, nem a maia te vale ;) (só o CSI)
     
    Última edição: 29 de Março de 2007
  18. bluei16_

    bluei16_ Banido

    Depende do caso... daí eu falar em limites... uma cara é algo elaborado de mais... mas por exemplo uma matrícula é algo simples... não são necessárias referências (nem era possível arranjá-las)... as referências são os números e as letras
     
  19. Noeljunior

    Noeljunior I fold therefore I AM

    Eu diria que não porque um filme, além de um resolução muito maior, tem uma profundidade de cor superior. É mais natural...
     
  20. Kayvlim

    Kayvlim Undefined Moderator
    Staff Member

    Neste momento, podes estar certo. Mas eu estava a dizer que a evolução das digitais pode torná-las superiores às analógicas, portanto se o único problema é a profundidade de cor, acredito que isso possa ser "contornado" num futuro próximo :)
    Aquilo a que eu me referia é... existe alguma coisa que as câmaras analógicas tenham que seja mesmo impossível as digitais virem a ter? O facto de as analógicas trabalharem directamente com o "mundo real", e as digitais o transformarem em pontos é que me fez sempre pensar que as analógicas seriam eternamente superiores às digitais. Mas se as analógicas têm, no fundo, os pixeis à sua maneira, então estão ao mesmo nível de capacidade. Apenas ainda não temos tecnologia para elevar as digitais à qualidade das analógicas.

    @ bluei16_, tenho de concordar com o ruimoura quando ele diz que isso é outra história. Repara, quando tiram uma foto a um indivíduo, e a cara deste apenas ocupa, imagina, 30x30 pixels, podes saber que é uma pessoa, mas se sou eu ou és tu, não dá para distinguir. Claro que formos os únicos suspeitos, podem arranjar forma de descobrir qual de nós é. Mas não é possível fazer um enhance suficientemente bom para devolver a face perceptível.
    E, numa matrícula, há caracteres que podem ser facilmente confundidos com outros. O 3, o 8 e o B, o I e o 1. Se uma matrícula for 31-31-BI, eles até podem ler 81-BI-31 ou BI-31-81, porque tendo em conta a qualidade da imagem, a informação disponível pode ser demasiado ambígua para uma correcta interpretação.

    (duas notas: tudo o que disse aqui é da minha opinião pessoal, e eu tenho usado o termo "câmaras analógicas" sem saber se é o termo correcto ou não. Se não for, agradeço que me corrijam :) )
     

Partilhar esta Página