1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. A secção Microsoft/Windows encontra-se actualmente em processo de reestruturação.
    Remover anúncio

AJUDA - Mudança de casa (xp>>linux)

Discussão em 'Windows Desktop e Surface' iniciada por Strahd, 28 de Janeiro de 2006. (Respostas: 2; Visualizações: 599)

  1. Strahd

    Strahd Power Member

    Ora bem tou a pensar em mudar-me para o linux, mas tenho um problema n entendo nada de nada de linux, e por isso keria saber se me podiam esclarecer algumas coisas:
    1ª kuais são as versões do linux ke existem e kuais as melhores, isto das versões é como no Windows ke tem o 98, 2000 e xp, ou é diferente?
    2ª A coisa de 2 anos instalei o linx para começar a experimentar mas devido a prob com a net voltei po xp, mas nesse tempo lembro-me ke com o linx n dava pa ver o disco do xp nem o outro disco ke tinha, e por isso keria saber o ke se passava pois keria tar no linux e poder ter acesso a tudo ke tinha.

    Ajudem ai pois n sei mesmo nada de nada.
     
  2. Sumerset

    Sumerset Power Member

    Existem várias versões podes ver em www.distrowatch.com as que existem. No teu caso acho que o melhor seria começar por te habituares ao ambiente. Podes usar Ubuntu que é fácil de usar e que tras suporte para muito hardware e além disso tem um forum de suporte em portugues caso surjam problemas.
     
  3. falco

    falco Power Member

    As que ainda são suportadas são o 2.0, 2.2, 2.4 e 2.6. Obviamente que quanto mais recente melhor.



    [quote isto das versões é como no Windows ke tem o 98, 2000 e xp, ou é diferente?[/quote]

    É muito diferente!

    Em primeiro lugar Linux não é um sistema operativo. Linux é uma das componentes (kernel) de um sistema operativo chamado GNU/Linux.
    Existem muitas distribuições de GNU/Linux, ou seja, existem muitas pessoas e/ou entidades, que preparam o GNU/Linux, juntando o kernel Linux, com a layer de aplicações e bibliotecas GNU, e outros softwares e bibliotecas, tornam isto tudo estável, e preparado para ser instalado, utilizado, suportado, etc... A cada uma dessas preparações diferentes chama-se distribuição. Cada distribuição tem então as suas versões.


    Cada distribuição é feita tendo em conta determinados objectivos, que costumam variar entre as distribuições, como resultado acaba por acontecer que para determinado tipo de necessidade e em determinado tipo de situação, uma distribuição pode ser a mais adequada, mas se uma dessa duas variáveis (que na verade são cada uma delas compostas de muitas outras variáveis) mudar, que a distribuição adequada pode passar a ser outra.



    Existe uma distribuição que agora já é mais uma familia de distribuições que se chama Debian.
    A Debian foi feita de forma a ser o mais universal em todos os aspectos possível e levou este esforço muito mais longe do que qualquer outra distribuição. Ou seja, a universalidade do Debian é conseguida com universalidade do suporte para hardware (suporta as arquitecturas de processador: várias da Intel, várias da AMD, Cyrix, IDT, Transmeta Crusoe, Alpha, ARM, CRIS, m68k, MIPS, PowerPC, PA-RISC, Motorola 680x0, S/390, SuperH, SPARC; havendo ainda versões não oficiais para pelo menos: ELKS e uClinux), com o suporte para mais de 20 linguas diferentes, incluindo mais de 16000 pacotes de software para os mais diversos propósitos, ao não ser feito apenas para ser bom a fazer uma coisa (como tem uma grande comunidade pode dar-se ao luxo a ser bom para muita coisa diferente), tem uma infraestrutura de configuração e administração do software muito completa e extremamente flexivel.

    Por ser tão universal Debian acabou por dar horigem a várias distribuições derivadas, que se especializaram a aproveitar a universalidade do Debian, para poder fazer ainda melhor coisas especificas, isto porque ao ser tão universal acontece que permite demasiado, enquanto determinadas pessoas/entidades, querem que por omissão tenha um comportamente muito menos universal (porque só temos uma lingua mãe, porque preferimos que quando instalamos o sistema ele tenha já determinado software, ou determinadas configurações) de forma a facilitar a instalação, satisfazendo imediatamente necessidades especificas. Por exemplo várias regiões autonomas de Espanha têm distribuições derivadas de Debian oficiais, que são apenas o tirar a parte universal da instalação por omissão de Debian de forma a estár optimizado para as necessidades do governo regional, das escolas e das empresas dessas regiões, o mesmo fizeram empresas para satisfazer necessidades especificas de determinados sectores do mercado, como por exemplo a Linspire, a própria HP tem uma adaptação de Debian para empresas de telecomunicações.



    Por estas razões acho que Debian e/ou os seus derivados são boas para a maior parte dos utilizadores, na maior parte dos casos. Por exemplo para pessoas com o perfil que tu pareces ter Ubuntu, que não é mais que um derivado de Debian, parece ser uma boa solução, mas também ainda não disseste tudo o que é necessário para poder responder de forma mais definitiva. Por exemplo:
    * tens necessidade de usar o mesmo software sempre na mesma versão por diversos anos?
    * Ou pelo contrário, preferes usar software sempre recente
    * Podes por exemplo trocar o ter o software mais recente por ter um também recente, mas com mais maturidade e por isso fiabilidade, segurança, integração e com suporte já organizado por parte da distribuição?
    * Que tipo de tarefas costumas realizar com o computador?
    * Que tipo de tarefas queres realizar no futuro?
     

Partilhar esta Página