1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. Consulta o Portal de Jogos da ZWAME. Notícias, Artwork, Vídeos, Análises e muito mais.

    Remover anúncio

Organização Mundial de Saúde classifica vício de videojogos como doença mental

Discussão em 'Jogos - Discussão Geral' iniciada por gif, 27 de Dezembro de 2017. (Respostas: 86; Visualizações: 6652)

  1. gif

    gif Power Member

    O Zé joga 2 horas por dia na Switch.
    A avó do Zé vê todas as novelas da tarde e da noite.
    A irmã do Zé passa outro par de horas no Instagram.

    O que cada um destes 3 pensa um do outro é a confusão que falas. Mas a meu ver, isso é outro tema. São apenas opiniões e gostos. O assunto cerne do tópico é outro.
     
  2. Rubenzito

    Rubenzito Power Member

    Esta mensagem também serve para os ditos especialistas deste tipo de consultas.
     
  3. gif

    gif Power Member

    Conheces algum médico especialista que se tenha confundido?

    Mais uma vez recordo que estamos a falar de situações graves e reais.
     
  4. kaib

    kaib Power Member

    É um tema interessante e acho que do interesse de todos os gamers por assim dizer principalmente os que estão a iniciar a sua "carreira", ler e se informar acerca deste assunto só vai ajudar e acho que os foruns são provavelmente o melhor sitio para isso pois todo o tipo de pessoas têm acesso principalmente os jogadores logo é um bom sitio para se sensibilizar as pessoas visto que ainda há um choque de várias gerações a conviver neste pais/mundo onde há muita falta de conhecimento e noção da dimensão da coisa pior que os videojogos as redes sociais estão a ter um impacto profundo na sociedade é fácil ver por o comportamento das pessoas seja numa simples ida ao "café" ou a um bar/disco onde praticamente tudo têm que ser fotografado partilhado e comentado online, o tipo de conteudo e a forma como as pessoas usam a "internet", a mudança de alguns valores a questão do status que se cria ou a falsa noção de status por assim dizer. E claro uma situação cada vez mais visivel praticamente um telemovel ou tablet servem de ama desde os primeiros anos de vida de uma criança.

    Como experiencia pessoal apenas posso dizer que o que mais me viciou foi os jogos online mais precisamente mmorpg houve uma altura em que por exemplo quando estudava nas férias cheguei a passar 1 mês sem sair de casa era só comer dormir e jogar, no primeiro trabalho que tive entrava ás 12h saia ás 22h era chegar a casa tomar banho comer qqer coisa e chegava a ficar até ás 6/7h da manhã agarrado dormia um bocado e toca de fazer a rotina trabalhar/jogar.

    Nesse tempo para além do mau aproveitamento escolar que felizmente só me fez perder 1 ano nos tempos livres o pessoal amigo ia jogar futebol por exemplo ou sair e tinham de ir a casa para me arrancar do pc umas vezes conseguiam outras não era conforme, já quando trabalhava para além de provavelmente devido ao estilo de vida que levava ter ajudado a que a relação com a minha namorada da altura tivesse terminado ou pelos menos sei que foi um dos factores que levou a que isso acontecesse..., ainda mantivemos a relação durante perto de 5 anos e estivemos juntos 3 anos +-...,perdi peso ao ponto de pesar 57kg com 1.80 devido a rotina e falta de descanso principalmente mental.

    Hoje em dia tenho um trabalho estável pratico desporto saio regularmente e tento dividir o tempo de forma mais equilibrada, no que toca a jogar chego a tar 1 ou 2 meses sem tocar em nada depois volta e meia pego num joguito e lá vou matando o vicio e é raro jogar mais que 1/2 h por dia e claro quase sempre jogos online como por exemplo ontem "perdi" 1 h a jogar overwatch com 1 dos meus melhores amigos e outro rapaz que vive e trabalha em inglaterra onde falamos jogámos e depois fomos ás nossas vidas.

    São pequenos exemplos de como o vicio afectou a minha vida pessoal negativamente e até certo ponto a saude também.
    Como todo o tipo de vicios a unica coisa que se pode fazer é sensibilizar as pessoas para que se possa prevenir alguns casos mais graves e no geral haver mais noção do quais são os limites saudáveis...porque de resto vai sempre haver viciados extremos como em tudo na vida o excesso é prejudicial seja a fumar beber jogar ou no desporto a regra aplicasse a tudo e a todos os comportamentos das pessoas.
     
  5. roninPT

    roninPT Power Member

    tenho que usar isto para meter baixa......mais tempo para jogar :P
     
  6. gif

    gif Power Member

    @kaib obrigado pela partilha e sensibilização!
     
  7. Rubenzito

    Rubenzito Power Member

    @kaib por curiosidade, nessa fase de vicio, alguma vez te sentiste como um toxicodependente ?

    Custa-me esta comparação que muitas vezes fazem com os "viciados" em videojogos. Eu considero-me um "viciado" saudavel, tenho esse vicio dos jogos, mas nada de anormal. Agora compararem pessoas com casos de vicio mais graves a um drogado, isso para mim é um insulto.
     
  8. llWantedll

    llWantedll Power Member

    Se passo 8 horas no trabalho, 4 horas com a família e 3:30 a jogar, será que tenho algum problema?

    Penso que talvez esteja tempo de mais no trabalho, será algum tipo de distúrbio mental perder 8 horas da minha vida fechado numa sala a olhar para um PC a trabalhar? :lol:
     
  9. gif

    gif Power Member

    O user não tinha a adição a substâncias por isso nunca se ia sentir como um toxicodependente. Mas que tinha dependência acho que não há dúvidas.

    Este tópico não é sobre a comparação que achas um insulto. O teu hobby que provavelmente é saudável não está em assunto.


    Felizmente, cá no fórum sofremos todos do mesmo tipo de "problema" ;)

    Pior seria dares o cabedal na Ásia 12 horas/dia e sem fins-de-semana :(
     
  10. Rubenzito

    Rubenzito Power Member

    Mas essa comparação é muitas vezes feita.
     
  11. gif

    gif Power Member

    Tens razão. Ao nosso redor, quem não joga nem percebe de videojogos diz logo que alguém que goste simplesmente/saudavelmente de videojogos é logo "viciado". Não entendem que é um hobby como outro qualquer. Para mim, é falta de conhecimento.

    O mais engraçado é que no casa-trabalho/escola-casa as pessoas passam mais tempo a jogar no telemóvel do que nós a jogar videojogos na consola/PC
     
  12. llWantedll

    llWantedll Power Member

    Hoje em dia é mais fácil ser alcoólico, fumador ou até mesmo drogado do que jogar consolas. Pelo menos os meus pais sempre me disseram antes jogar do que consumir outras coisas. E dos anteriores a única coisa que faço é beber socialmente e raramente sem excessos :joker:
     
  13. lpmacedo

    lpmacedo Power Member

    A minha mulher por acaso nunca se queixou, mas ns brincadeira digo -lhe que é sempre melhor ter o vício dos vídeo jogos do que um mais tradicional como o do jogo ou mulheres
     
    Última edição: 24 de Janeiro de 2018
  14. ZePlin

    ZePlin Power Member

    Acho interessante esta discussão e realmente podemos tentar negar mas que existe malta efectivamente viciada existe.

    Mas vamos ver a coisa por outro lado...
    Quantos pessoas conhecem que joguem habitualmente 1 a 2 horas diárias, são casados (e bem casados), têm filhos (por vezes mais que 1), tem uma profissão estável (não digo bem paga por que nenhum é :D) e praticam algum tipo de desporto?

    Da minha parte podem contar com 6 pessoas (incluindo eu) :D
     
  15. kaib

    kaib Power Member

    Nada a ver pelo menos falando da minha experiência...até porque tive um caso próximo na familia que era toxicodependente digo nada a ver pq sei as coisas que esse meu familiar fez na altura para conseguir dinheiro para matar o vicio iam desde roubar a estranhos aos familiares fosse objectos para vender ou simplesmente entrar em casa e procurar as carteiras para tirar dinheiro.., mentir e mesmo para não utilizar outro termo de chegar a "vender-se" isto falando de uma pessoa do sexo masculino, felizmente essa pessoa conseguiu sair dessa vida constitui familia e têm um bom emprego onde ganha muito acima da média mas ficou com as mazelas, ou seja, problemas de saude.

    Mas acredita dando mais um exemplo o máximo que investi foi 400€ de uma vez para compensar o tempo que ia precisar ou por exemplo ter de investir num pc novo pois o meu não aguentava multi box para poder farmar no jogo em questão na altura que mais me viciei, já trabalhava foi do meu bolso e embora andasse sempre esgotado e não fosse saudável consegui sempre manter assiduidade no trabalho e antes na escola, essa fase deve ter durado entre os 18 e os 24 anos tenho agora 35.

    Agora tudo depende dos casos pq conheci pessoas que me disseram que já tinham investido mais de 30000€ em jogos online na altura.., estudavam e apenas usavam o cartões de crédito dos pais etc pelo menos 1 ou 2 clan mates da altura disseram-me isso um deles era português. Deve haver casos mais graves acredito que haja muita gente que cause o inferno em casa indo até á banca rota.
    Acho que a educação e o meio onde se é criado tb influência muito as acções de cada um logo falando de extremos deve haver casos bem mais graves por ai.

    Depois há os casos dos youtubers que fazem vida dos videojogos para mim isso é como outro trabalho qqer e que até admiro simplesmente é a evolução para outro patamar simplesmente são profissionais no que fazem!
    O que se trata aqui ou pelos menos é a mensagem que os especialistas querem transmitir é de sensibilizarem para os casos parecidos ao meu e para os mais graves pois por vezes as pessoas envolvidas não têm noção dos problemas que causam ás pessoas em seu redor por norma no seio familiar.

    Hj em dia apenas é um hobbie para mim e acho saudavel todos devemos fazer o que gostamos desde que não nos prejudiquemos eu pessoalmente tento me afastar dos mmorpgs porque requerem muito tempo mas conheço por exemplo casais já com filhos que ainda jogam desde os meus tempos de "viciado" e fazem uma vida normal por assim dizer.
     
  16. llWantedll

    llWantedll Power Member

    O termo normal é subjectivo, o que é para um pode não ser para outro, acho que aqui falamos apenas do que a sociedade na sua maioria considera como a conduta correcta. No entanto é uma sociedade tão manipulada pela comunicação social que nem vale a pena comentar
     
  17. gif

    gif Power Member

    O tema do tópico não é normal para mim, para a sociedade, nem para ti.
     
  18. kikofra

    kikofra Power Member

    https://www.jn.pt/nacional/reportag...u-medicina-para-jogar-videojogos-9099220.html


    Há gente aqui a achar que classificar o excesso de videojogos como um vicio um exagero, mas é bem verdade que estes se podem tornar uma adição, tal como o alcool. Se consumidos com moderação, com certos exageros de vez em quando nao trazem grande problema, mas um consumo exagerado diario dá cabo de vidas. Conheco um caso pessoalmente de uma rapaz que até ia fazendo cadeiras, ia ao ginásio e tinha porte atletico. Entretanto colou no LOL de tal maneira, que deixou de ir as aulas, ao ginásio, não saia do quarto a nao ser para aquececer uma pizza ou assim e voltava ao jogo. Engordou, preescreveu, sempre que abria a porta do quarto ou se passava por ele cheirava a "morto".
    Se isto não é um problema de adição grave, não sei o que será
     
  19. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Tudo é passível de vício, sem excepção. Os jogos não estão imunes. É necessário a sensibilização de toda a sociedade, tanto os jogadores, como os não jogadores e os psicólogos que os diagonosticam. Jogar 3-6h não é o problema, nem nunca foi. Gostos e hobbies todos devemos ter. O problema são mais estas situações, onde o vício leva ao pior desfecho:
    https://www.theguardian.com/world/2010/mar/05/korean-girl-starved-online-game
    https://www.mirror.co.uk/news/world-news/tragedy-computer-gamer-dies-after-5263046
    http://www.businessinsider.com/cali...eir-children-to-play-world-of-warcraft-2014-8

    Isto sim, são casos de vício. É quando não consegues parar, quando toda a tua vida é 100% absorvida ao ponto de te pores, ou a ti, ou outros em risco. Nem falo de pessoas que jogam imenso mas fazem o básico da vida, porque honestamente, sem esse comportamento mais obsessivo muita coisa nem teria sido inventada por pessoas que eram obcecadas por alguma invenção ou investigação. Comportamentos obsessivos são parte da nossa vida, e alguns têm mais que outros, e é preciso analisar caso a caso. Mas quando se desaparece por completo de tudo, aí algo está mal.

    Mas eu entendo porque é que os jogadores se sentem "atacados", pois nos últimos anos tem sido uma enxurrada de casos e problemas. Violência nos videojogos, gamergate e movimetnos SJW, empresas a introduzir sistemas de dinheiro cada vez mais complicados e agora este caso. Só que isto faz parte do crescimento e reconhecimento desta cultura perante a sociedade, e temos de saber aceitar, discutir, e balancear algo que nos dias que correm é parte integrante de uma larga percentagem da população. É um tema que merece ser discutido, e devemos estar abertos a isso. Mesmo que sejamos atacados, não devemos atacar de volta, devemos rebater e discutir apenas. Faz parte do processo de aceitação.

    Eu tive períodos de vício, acontece. Saber combater isso e sair fora do sistema é que é mais complicado. E ainda tenho vícios, não fosse ter uma conta de steam com mais jogos que vou jogar numa vida :P
     
    Última edição: 6 de Fevereiro de 2018
  20. Rubenzito

    Rubenzito Power Member

    O problema é quando começa a haver uma segregação dentro do dito vicio. Os jogadores de pcs e consolas são viciados, mas parece que os jogadores de mobile já não são. Às vezes parece que ter um smartphone e jogar certo jogo é um estatuto social.