1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. COVID-19 Mantenham-se seguros: Pratiquem distanciamento físico de 2 metros. Lavem as mãos. Usem máscara.
    Informação sobre COVID-19. Ajuda a combater o COVID-19 com o [email protected] e com o [email protected].
    Remover anúncio

Linux ou Windows?

Discussão em 'Novidades GNU/Linux & *nix World' iniciada por Luigysantox, 31 de Maio de 2010. (Respostas: 467; Visualizações: 39494)

  1. Dx340

    Dx340 Power Member

    Através dos olhos fazes o scan e metes em quarentena para no boot seguinte ser eliminado? Dois dedos de testa chega para isso, se tivesses quatro imagino o que farias.
     
  2. Gato Preto

    Gato Preto Moderador Felino

    Offtopic:

    A Microsoft não chegou a desenvolver uma distro de Linux?
     
  3. Aparicio

    Aparicio /dev/mod
    Staff Member

  4. Gato Preto

    Gato Preto Moderador Felino

    Ah, era isso, estava a confundir ;)
     
  5. Há anos que tenho de fazer precisamente o contrário...
    Salvar em pdf... depois reiniciar em windows para conseguir imprimir.
    O mesmo se aplica a digitalizar.
     
  6. Gato Preto

    Gato Preto Moderador Felino

    Para isso o que podias fazer era colocar Windows numa máquina virtual, instalar lá a impressora/scanner e ter uma pasta partilhada entre os dois sistemas operativos. Poupavas uns belos minutos :P
     
  7. Tiago.Pereira

    Tiago.Pereira Power Member

    Deixo aqui a minha opinião pessoal.

    Sou utilizador do Windows desde que me lembro. Aos 4 anos já mexia no Windows 95 (pc usado, um Pentium I a 133 MHz e 32 MB de RAM), tive um contacto com o Windows 3.11 pouco depois disso, e fiz o upgrade para o Windows 98 pouco tempo depois de ter recebido o PC - recebi em Abril, fiz o upgrade em Dezembro. Instalei um sistema operativo com sucesso pela primeira vez. Estamos nós, em 1999.

    Por volta de 2001, recebi um novo PC, este também usado, mas bem mais poderoso. Tinha um Pentium II a 300 MHz. A esse instalei o Windows Millennium, com o qual tive umas dores de cabeça, incluindo estar a funcionar por mais de meio ano, e de repente ter lixado aquilo tudo com uma instalação de uma máquina virtual com drivers que não eram para aquele SO.

    2002 trouxe novo PC também usado, passando para um Athlon K-2 a 500 MHz, no qual instalei o Windows XP, e onde tive com ele, todo contente. Em 2003, upgrade ao PC para um Athlon Thunderbird 2000+ que apesar de se "equiparar" a um CPU Intel a 2000 MHz, funcionava a menos, praí uns 1.5 GHz. Foi a única vez em que tive uma placa ATI. Todos os PCs anteriores e posteriores tiveram placas nVidia, desde uma dos tempos do 2.5D (voodoo? que acabou por falir) em que as rodas num jogo que tinha, apareciam como quadrados (LOL), até á mais recente, a 9300M GS, passando por uma Riva TNT, uma Creative Savage 4 32 MB, e uma nVidia MX4000, topo de gama na altura. Esse PC acabou por queimar de tanto jogar Heroes 3 e do Verão :P

    2005 trouxe um PC usado, com um Pentium IV a 1.7 GHz, 512 MB de RAM, e 40 GB de disco. E foi só aí, que tive contacto com o Linux pela primeira vez. Na minha escola, estava instalado o Caixa Mágica 10, onde tive a tocar e exprimentar um pouco. Quando veio uma distro no CD da Exame Informática, gravei esse CD e entrei com ele. Funcionou bem, excepto o início onde tive que fazer "hard guessing" de um comando, porque aquilo emperrou tudo. Anyway, depois de ter posto, andou e reiniciou sozinho...

    2008, Dezembro trouxe o PC que tenho até agora, um Insys HD8761 SU. Há ano e meio que funciona, sem espinhas.

    Portanto, o meu percurso foi este: 1999 (Abril) - Windows 95 » 1999 (Dezembro) - Windows 98 » 2001 (Março) - Windows ME » 2002 (Agosto) - Windows XP » 2005 - Caixa Mágica 9 » 2006 ou 2007 - Caixa Mágica 10 » 2008 - Windows Vista » Dezembro 2008 - Caixa Mágica 12 » Novembro 2009 - Windows 7 (2 meses e voltei para o Vista).

    Isto tudo porquê? Porque já não me imagino a viver sem o Windows. Raciociono há mais de 10 anos nesse ambiente, e apesar das minhas várias tentativas para mudar radicalmente, ou mesmo passo a passo para Linux, não consigo fazê-lo. Talvez porque é o único ambiente onde sinto que sou eu que estou aos comandos do computador, e não a pensar "onde é que eu devo ir para fazer isto?" "e agora, não percebo este comando..." "Raios, isto fechou e atrofiou-me o Linux todo!" "Só gostava que a renderização de fontes fosse melhor..." "As opções a nível de design útil, out of the box, não prestam" [Gnome]

    No entanto, reconheço que o Linux tem os seus méritos. E um deles é servir para Media Center melhor que o Windows XP. Outro é a recolha centralizada de programas. Outro ainda, é o KDE e o seu design na versão 4. E no entanto, nunca me consegui habituar. Acho que é mesmo de mim. Somos todos animais de hábitos. E é essa a razão que muitas pessoas se mantêm com o Windows.

    E também há coisas em que o Linux é rei: uma delas é o Android, outra são media centers, e outra são certos tipos de aparelhos que funcionam esplendidamente com Linux.

    Eu não me considero um power user, ou mesmo um heavy user, mas o ambiente Windows é o ambiente em que eu estou mais á vontade, onde eu penso realmente, e melhor, onde de 2 em 2 anos posso renovar o hardware, comprando um PC qualquer, e os drivers e CD de recuperação (god bless it, prefiro isso a um CD de instalação) vem todos de origem, tendo nova licença e estando sempre actualizado, ou então faço a actualização mantendo o hardware e tudo o que tinha, e fico com os drivers out-of-the-box.

    É apenas a minha opinião, não se sintam intimidados por ela. Sintam-se livres para comentar.
     
  8. Aparicio

    Aparicio /dev/mod
    Staff Member

    Eu também usei o Windows desde o 95 desde pequeno durante uns 10 anos, mal comprei um portátil para a faculdade levou logo com Linux em cima e desde aí que não me imagino a viver sem Linux, agora passo-me quando tenho que mexer num windows, aquilo é tão lento, atrofiado e limitado, só consegui viver 10 anos com Windows porque não conhecia mais nada.
    Não sei como dizes que só em Windows sentes que estás aos comandos do computador, eu acho exactamente o contrário, há uma diferença entre conhecer-se melhor um SO e um SO dar de facto mais controlo ao utilizador.
    Quem diz isso é porque ou conheceu o linux superficialmente ou simplesmente não precisa de tanto "poder" sobre o computador e acha complicado demais, não consigo imaginar outra coisa, só ter usado uma distro como o Caixa Mágica também não ajuda.
     
  9. Bad_Cop

    Bad_Cop Power Member

    O linux é bom para media center e android? E os servers? E quem o usa em computadores pessoais?
    As coisas não são bem como apresentas, muito do que disseste não é verdade.. Nada te impede de renovar o hardware num pc com linux. Até será porventura mais fácil.. Já tentaste trocar uma MotherBoard no Windows? Se acabaste por conseguir, lembraste do trabalho que deu? Em linux é bem mais fácil, podes procurar testemunhos por essa web fora.

    O linux é diferente do windows, ponto. Quem "experimenta" linux na esperança que seja igual vai sair desiludido. Tem de haver uma adaptação. Há software diferente que faz o mesmo, e há software diferente que é simplesmente diferente. Há software para windows sem "equivalente" em linux e o contrário.
    Dizes que o KDE é bom e o Gnome é mau.. Uma das virtudes do linux é precisamente a possibilidade de escolha, cada um come do que gosta. Eu não gosto de KDE, uso Gnome. Outros usarão Openbox, outros ainda Xfce. Cada ambiente gráfico tem aplicações associadas, mas até nisso podes escolher, usar aplicações do KDE no Gnome ou vice-versa.
    E dizes também que é complicado, mas não é.. Tens pelo menos meia dúzia de distros onde podes usar o teu computador sem recorrer uma única vez à consola. Não tens "comandos" que tens de perceber ou não. Nada te obriga a usar a consola, mas ela também não morde. Simplesmente é muitas vezes mais fácil, prático e rápido usar a consola do que andar em menus, submenus, separadores e dropdowns para escolher aquilo que interesa, mas isso vem com o tempo, com a prática e com o conhecimento do SO.
    Tens depois os .deb e os .rpm que funcionam tão bem ou melhor que os installers .exe e os .msi. Tens até ferramentas para converter um .rpm para .deb para que possas usar software de outras distros na tua, coisa que à uns anos era uma utopia. Tens os repositorios (falando em concreto do aptitude) que metem o sistema de actualizações do Windows a um canto - em nenhuma versão do Windows consegues ter o SO a procurar actualizações para todo o software que tens instalado no sistema.

    Não leves a mal, mas apesar do texto longo e da experiência, mostras um profundo desconhecimento do que é o linux. E não digo isto por preferires windows, eu próprio uso ambos os sistemas operativos sem qualquer complexo (tenho um desktop com windows porque jogo um joguito de vez em quando e uso linux no meu portátil para o dia a dia), simplesmente fazes afirmaçãoes que não são correctas. A experiência de cada um é que conta, a tua foi má, há que respeitar. Pode ter sido da distro que usaste, pode ter sido das espectativas que criaste, pode simplesmente não ser um SO que satisfaça as tuas necessidades. Mas afirmar que linux só é bom para android e media centers..
    Não podes esperar que em meia dúzia de meses que usas um SO, ainda por cima um SO que é actualizado tão frequentemente como o linux, tenhas um nivel de conhecimento próximo do de um SO que usaste 10 anos. É natural que te sintas melhor no Windows. Penso que todos estranhamos linux ao inicio.
     
  10. Tiago.Pereira

    Tiago.Pereira Power Member

    OK, vamos por partes.

    Eu digo que só em Windows sinto que estou aos comandos do computador, porque já o conheço de frente pra trás e de trás prá frente, com tudo o que de mau isso implica: vírus, trojans, malware no geral e por aí adiante. É como dizes, é mais pelo "conhecer" e estar habituado que te sentes mais no "poder" do teu PC.

    Por outro lado, fazem-me muita comichão aquele tipo de pessoas que não gosta de exprimentar SO novos como o Linux, nem que seja para dar opinião sobre ele, e se mantém no Windows. Puro comodismo...
    E sim, o Caixa Mágica não ajuda nada mesmo. Só de há um ano para cá é que tenho vindo realmente a conhecer o que é Linux a sério. E só de há um ano para cá me tenho vindo realmente a habituar.

    Não estava explícito, mas eram apenas exemplos. O Android consegue ser muito bom, enquanto SO móvel, já o exprimentei num HTC.

    Em lado nenhum disse que um PC com linux era um impeditivo para renovar o hardware. O que disse, foi que ao renovares o SO a cada dois anos, normalmente (e é o que muita gente faz), compras também outro portátil (sim, porque normalmente são só portáteis, os PCs de secretária são bem mais flexíveis), com todos os custos e endividamento que isso implica.

    No segundo ponto, tens razão. Duas vezes tentei trocar de motherboard, duas vezes tive que formatar e começar tudo de novo...

    Mas a minha ideia é precisamente essa: ser diferente, para melhor. Prefiro o KDE ao Gnome pela interface visual, e pelo tipo de interacção que tens com o SO. Era apenas uma opinião pessoal, cada um tem direito de escolher o que bem quiser/o que mais lhe convier. E acredita que felicito o Linux por essa liberdade de escolha.

    E não sabia que era possível usar aplicações de um ambiente, noutro, juro que não sabia. Nesse ponto estava desinformado, admito.

    Novamente, falava de um ponto de vista do utilizador comum, aquele que quer instalar e saber logo onde estão as coisas, ir ao seu Youtube, baixar os seus MP3 e por aí. A única distro que faz isso é o Mint. Mas a mais publicitada é o Ubuntu. E esse não traz as coisas de origem... Claro que há coisas que sinceramente prefiro ir á consola e escrever uma linha do que ir a menus. Agora, ainda não tenho conhecimento disso no Linux. Mas nada que uma experiência mais no "interior" da génese não faça bem.

    Ponto para o GNU/Linux. É realmente um dos pontos positivos que qualquer um, assim que instala, repara. Peca por não trazer mais repositórios, dependendo da distro.

    Óbvio que sim, sei o básico de Linux, mas apenas á superfície. Não tenho tido o tempo, a paciência e talvez a coragem de chafurdar mesmo lá no fundo, e por enquanto prefiro ficar assim, pela interface gráfica.
    ---
    Deixa-me apenas abordar aqui uma coisa. Depende sim, e muito, da distro. E ás vezes também da ignorância do utilizador (dizem que é santa, eu não acho :) )

    Lembras-te de em uns tópicos abaixo ter referido que a interface do KDE era horrível no meu monitor? Isso devia-se ao OpenSUSE 11.2 e ao modo de 16 bits...
    Lembras-te de nesses mesmos tópicos ter falado que tinha problemas no wireless, e que não ligava? Isso devia-se a ignorância minha.
    ---

    Passo a explicar. O OpenSUSE tinha-me detectado correctamente o nvdriver, no entanto estava apenas a mostrar a 16 bits, coisa que não consegui alterar em lado algum. Nem uma reinstalação resolveu o problema. O Kubuntu que é o que instalei há pouco, detectou-me os drivers correctos, veio configurado de origem para os 32 bits, e não tive que mexer uma palha.

    Os problemas do wireless eram pura ignorância minha. Eu normalmente entro na minha rede, não através de uma password mas através de um código de segurança (esqueci-me dela há um tempo). Ora, a única coisa que o Kubuntu aceita são passwords, daí que ele estava ciclica e continuamente a pedir-me a pass. Bem podia aceitar que aquilo não entrava. :p Tive de fazer reset ao router. Enfim. O que interessa é que agora já está a trabalhar, com o sinal a cerca de 50-70% (não é grande espingarda), e a navegar em condições.

    O Kubuntu foi a distro que gostei mais, de todas, até agora, e a qual eu me habituei melhor e tive, de longe, melhor experiência (longe Fedora, OpenSUSE e afins, longe), portanto vou ficar por aqui. E desta vez tenho a certeza que vou fazer a transição com sucesso :cool:. Claro que vão ser precisos outros 10 anos (ou por outra, vai ser preciso tempo) para me habituar ás entranhas do Linux. Mas gosto de aprender.

    Ou seja, penso que tudo se resume á distro que mais se adequa a nós, tendo em conta os nossos gostos e preferências. E isso, é espírito livre. E eu gosto disso. E agora sim, posso dizer que gosto de Linux :p

    Para finalizar, ficam aqui os tempos do Kubuntu aqui (coisa mai rápida que já vi!):

    Início COMPLETO - 35 segundos (!)
    Encerramento COMPLETO - 14 segundos
     
    Última edição: 28 de Junho de 2010
  11. Bad_Cop

    Bad_Cop Power Member

    Sendo assim interpretei mal o teu tópico inicial e confesso que não percebo a relação disso com a vantagem do windows. Como já li algues por este fórum, se houvesse um computador com linux ao lado de cada um que tem Windows com a respectiva diferença de preço da licensa, as pessoas comprariam muito mais linux assim que percebessem o que pagam.

    Eu não estava a "impingir" o gnome. É a minha preferência apenas. Estava a constatar que há diversidade. E mesmo dentro da diversidade há depois opções de personalização (podes trocar de file manager, window manager, network manager, etc..). Em Windows dificilmente consegues o mesmo, pelo menos com a mesma simplicidade.

    Isso é, na minha opinião, o lado fundamentalista e idealista da coisa. Poucas distros aceitam incluir de origem software proprietário, como é o caso do mp3 ou do flash e do java nas duas versões proprietárias, não sei de por questões puramente ideológicas se por impedimentos legais. Mas indicaste uma excepção, penso que há mais uma ou duas. De qualquer das formas isso é fácilmente contornável e acontece o mesmo no windows - os codecs também não vêm instalados.

    Quanto à velocidade de boot do Ubuntu/Kubuntu é de facto do melhor que há por aí.
     
  12. alexmgarcia

    alexmgarcia Power Member

    Temos que ver uma realidade: quando acabares o teu curso de LEIC (ou MEIC), o mais provável é ires entrar no mercado de trabalho para uma empresa que depende de produtos da Microsoft. Aí não te podes passar :P


    Não percebo porque no post anterior reclamavas de Linux e agora dizes que gostas.. Mas se queres ser obrigado a aprender (já que gostas), e de não necessitares de 10 anos para pensares o que fazer quando vires um terminal à frente, utiliza uma distro KIS (Slackware, ArchLinux) com um fluxbox ou algo semelhante. Acredita que vais aprender muito. Pelo menos falo por mim: tudo o que sei de comandos e configurações aprendi graças a Slackware + fluxbox

    Claro que mudei-me para Windows após tudo isto (ainda foram 3, 4 anos em Linux) porque fartei-me de a cada actualização que fazia, os pacotes vinham com mais bugs (falo de distros bleeding edge, como ArchLinux, por exemplo). Agora acredito que deve de estar muito melhor, mas mesmo assim as vezes que tentei voltar, e após umas horas, já estava farto.
     
  13. Aparicio

    Aparicio /dev/mod
    Staff Member

    Tenho esperança que assim não seja, há que ver também que há cada vez uma maior consciência de que não existe só o Windows.
     
  14. alexmgarcia

    alexmgarcia Power Member

    Eu também tinha, mas após ver vários classificados, perdi a esperança :P
     
  15. Bad_Cop

    Bad_Cop Power Member

    Mas há produtos microsotf e produtos.. Trabalhar com o software deles (falo do visual studio ou do sql server) também não é assim taaao mau quanto isso. A minha opinião não é que os produtos microsoft tenham pouca qualidade.. É que simplesmente os há com melhor qualidade. :)

    Quanto às distros KIS. Aprende-se de facto alguma coisa, mas para meter um sistema funcional é preciso quase uma semana. E na altura que andei de volta do arch os tutoriais eram bastante confusos.. Uma coisa que me irrita nos tutoriais (pelo menos nos que havia na altura) é que despejam comandos sem dizerem o que fazem.. Há toda uma explicação teórica mas depois para perceber como adaptar os "comandos" ao nosso sistema é uma chatice.
     
  16. alexmgarcia

    alexmgarcia Power Member

    Mas se fores para uma empresa que já utiliza aqueles produtos, é certo que o patrão não vai estar a perder dinheiro (fala-se em mudar para outras soluções, mesmo que livres, pois já investiu naquelas licenças; e também haver formação para os empregados.. quem vai pagar aquelas horas perdidas que podiam ser lucros?)

    Quanto às distros KIS há, por exemplo, Slackware, que acho excelente para aprender algo
     
  17. Bad_Cop

    Bad_Cop Power Member

    Sim, não estava a sugerir isso. Só quis dizer que não é o fim do mundo ter de trabalhar em ambientes windows.
     
  18. alexmgarcia

    alexmgarcia Power Member

    Ah, claro que não. Penso que até tornou-se um pouco moda dizer mal de Windows
     
  19. Não dá.
    As VM's nem sequer encontram a impressora.

    (Aliás, o que mais corro no meu ubuntu são VM's com windows)

    Engraçado, pois nunca senti essa diferença de performance que tanto se fala, a não ser na velocidade de boot.
    Porque de resto é muito relativo.

    Actualmente o meu portátil está com dual boot vista/ubuntu 10.04.
    E quando ambos os ambientes estavam "limpos", o Firefox conseguia ser substancialmente mais fluido em vista que no ubuntu.

    Com o passar do tempo o Vista "engordou".
    Está mais lento ao nivel do boot, e um pouco mais pesado. Mas porque passou a correr toda uma série de serviços que pesam substancialmente, que preciso deles a nivel profissional.

    O que se torna muito chato sempre que preciso de fazer reboot para imprimir ou gravar um dvd DL.
    Coisas que não consigo fazer por falta de drivers.

    Eu entendo o TFP.
    Há determinados hábitos que se criam ao nivel de abrir aplicações com o botão direito, com drag and drop dos ficheiros e até mesmo na organização do disco que torna o Win mais simples e intuitivo.
     
    Última edição: 30 de Junho de 2010
  20. mauro1855

    mauro1855 I'm cool cuz I Fold

    Windows vs. Linux...
    Bem, antes de entrar para a faculdade já tinha experimentado alguns LiveCDs de algumas versões de Linux, como o PCLinuxOS, Ubuntu, Mint, Mandriva, OpenSuse, etc. Mas era sempre por curiosidade, e houve uma vez que acabei por instalar uma distro que não me lembro o nome (sei que era brasileira), e começou-me a aparecer no boot um Pinguim, e eu jurei que nunca mais instalava aquilo porque era simplesmente estupido ter um pinguim a olhar para mim sempre que ligava o PC... Fiquei com um trauma pkausa do Pinguim...
    Depois entrei para a Univ, e como em Programação Usávamos uma ferramenta em Ubuntu, fui obrigado a instalar ubuntu, e a partir daí a minha perspectiva mudou... o Ubuntu 9.04 está fixe, estável, e existe certas coisas que me impressionaram. Por exemplo, eu para instalar uma Pen Kanguru no Windows demoro ainda uns minutos e ainda tenho de reiniciar PC... Em Ubuntu ligo a placa, carrego nuns botõeszitos e está feito em menos de 30 segundos, no reboot required... Impressoras quase a mesma coisa (embora não todas, claro)...
    Ontem, experimentei o 10.04, e se calhar vou instalar no meu PC principal... Tem um design excelente, e como já sei algumas coisitas vou começar a explorar...
    Até porque, sinceramente, o meu Windows Vista está tão tão tão atafulhado de coisas que isto para fazer Boot demora uns 5 minutos...
    Cumps