1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Trocar de sistemas MFT e DSLR por... Fuji?

Discussão em 'Recomendações de Equipamento' iniciada por Meje, 29 de Outubro de 2019. (Respostas: 67; Visualizações: 2352)

  1. Natto

    Natto Power Member

    Se queres APS-C de bolso tens a Ricoh III e a Fuji X100F.
     
  2. Meje

    Meje Power Member

    Eu li sobre isso. É o ponto mais fraco e a versão com a bateria sofre menos desse problema, mas é significativamente mais caro. Com aquele tamanho, com pilhas, julgo ser difícil fazer melhor. Há que usar boas pilhas e ter noção que não vai ser super rápido. Estive a ver as alternativas e maior está fora de questão, pois li vários relatos de ser muito difícil de equilibrar máquinas tão pequenas com flashes full size. Obrigado pelo feedback, fico mais descansado e espero que seja a primeira (e breve) adição para o sistema para poder fazer a cobertura das festas caseiras (praticamente só uso flash para isso).

    Eu quero algo que permita ser de bolso "de bolso" em determinadas situações (com uma 12-40 2.8 não será o caso), mas não limitei as hipóteses a tamanhos de sensores. Podes ler em vários posts, mas em particular no último que não pretendo máquinas que não permitam usar várias lentes (referi a LX100 como exemplo), muito menos considero a possibilidade de poder usar apenas uma distância focal. Para mim esse tipo de máquinas serão quase sempre segundas máquinas para complementar equipamentos maiores e o que eu quero neste momento é o contrário, reduzir os equipamentos/sistemas.
     
  3. Natto

    Natto Power Member

    Percebi. Então não estou a ver o que podes fazer. Acho que a solução seria uma Fuji X-PRO 2 por exemplo com lente pancake para caber mais ou menos no bolso.
     
  4. m4ndr4ke

    m4ndr4ke Power Member

    Pena é o sistema Canon EOS M ainda não ter uma zoom de abertura constante nativa (e acho que nem há rumores disso), porque de resto era acessível e pequeno. Uma M50 com uma EF-M 22mm f/2 e depois a típica EF 50mm f/1.8 adaptada era uma maravilha.
    Mas lá está, falta a zoom. Custa-me recomendar aquilo a alguém quando não se tem uma zoom standard rápida sem recurso a adaptadores.
     
  5. Meje

    Meje Power Member

    Confesso que nem tinha olhado para o sistema EOS M, ou especificamente para a M50. O que me surpreendeu muito pela positiva foram os preços das lentes. Parece-me a única marca com um sistema mirrorless APS-C com lentes a preços decentes, mas faltam as zoom rápidas ainda. O sistema em si é um incógnita pelas poucas lentas que ainda tem. Uma coisa que eu uso muito e que por exemplo de todo não existe é uma boa lente para retrato.

    Sobre a M50, não me agrada em particular a falta de controlos físicos no corpo. Há tanto espaço disponível, por que motivo não meteram mais dials na máquina? Foi das maiores falhas que senti na D5200 e que com a EM10 ficou totalmente resolvido. Adoro os controlos físicos da Olympus e as possibilidades de personalização. Isso melhorou muito a minha experiência de utilização a fotografar. Sobre o corpo em geral, parece-me estar numa gama inferior a uma E-M5 III ou X-T30, mas também é mais barata.

    Já a Canon M5 parece um corpo bastante interessante e pouco mais caro. Enquanto pesquisava informações sobre o sistema encontrei um comparativo onde analisam a M5 e comparam algumas coisas com a E-M1 II, nomeadamente uma foto a ISO 6400 e até fiquei surpreendido com a pequena diferença que normalmente é sempre apontada como uma diferença muito significativa. Vejam no no minuto 9:30 a comparação entre as duas fotos. Nesta fase assumo que a E-M5 III terá uma qualidade de imagem idêntica à EM-1 II e parece-me que o comportamento com pouca luz não será assim tão inferior (este era o principal problema da opção E-M5 III).

    Vou ficar mais atento ao sistema EOS M.
     
  6. m4ndr4ke

    m4ndr4ke Power Member

    Mais ou menos, a Sigma anunciou há dias 3 primes para EF-M:
    https://www.canonrumors.com/sigma-again-announces-ef-m-lenses-and-mount-conversion-service/
    Como estas câmaras usam dual-pixel AF, as lentes 3rd party não costumam ser um problema em termos de focagem.
    Agora, da Canon mesmo, por agora, ainda é preciso ir buscar lentes EF adaptadas. Mas há que reconhecer que as 50mm são pequeninas, têm apenas uns 4cm de comprimento, mesmo com o adaptador são compactas.

    Tem a ver com a gama da câmara, a EOS M50 é gama de entrada. Quem quiser algo mais completo deve olhar para as M5 ou M6, que são bem diferentes, como provavelmente percebeste pelo que escreveste em seguida :P
    A M50 é comparável a uma 200D/250D em termos de gama. É feita para ser pequena.

    É praticamente uma 80D mirrorless. Há uns meses vi-a na ***** por 485€ o corpo, numas promoções que eles andaram a fazer. E, confesso...por aquele preço, até a mim deu vontade.

    Só falta mesmo é a zoom rápida, porque as primes já estão.
     
  7. Meje

    Meje Power Member

    Há aqui alguma coisa que me está a escapar... Parece que a Canon descobriu a pólvora e ninguém reparou ou fala nisso. Talvez esteja a exagerar um pouco, mas vejamos o seguinte (preços GM):
    MFT retrato - Olympus 45mm 1.8 eq. 90mm - 220 € - Diam. 56 x comp. 46
    EOS-M retrato - Canon 50mm 1.8 eq. 80mm - 105 € - Diam. 69 x comp. 39
    Canon mais barata (METADE) e 7 mm mais curta (e APS-C)

    MFT street - Olympus 17mm 1.8 eq. 34mm - 277 € - Diam. 57,5 x comp. 35,5
    EOS-M Street - Canon 22mm 2.0 eq. 35,2mm - 165 € - Diam. 61 x comp. 23
    Canon novamente mais barata 100 € e mais de 1 cm mais curta, sendo o diametro muito próximo.

    Dimensões dos corpos:
    Olympus EM10 (por exemplo) - 120 x 83 x 47 (Larg x Alt x Esp)
    Canon M5 - 116 x 89 x 61 (Larg x Alt x Esp)

    De referir que a última medida é pouco relevante, porque sempre que se coloca uma lente, a espessura torna-se irrelevante.

    Ou seja, a Canon é a única a conseguir fazer um sistema APS-C menor que MFT, no entanto fala-se muito pouco disto, quase não se encontram comparativos, etc... Está aqui a escapar-me alguma coisa? Sensivelmente do mesmo tamanho, lentes menores, mais baratas e sensor maior. MFT ganha e ganhará sempre em estabilização, mas isso não é motivo suficiente.

    O que é que a Canon descobriu que mais ninguém conseguiu descobrir até agora? Falo de Fuji e Sony essencialmente. A qualidade de imagem, o desempenho, ou mais alguma coisa é evidentemente inferior neste sistema EOS-M, ou é só pelo fraco ecossistema?

    Não comparei qualidade de imagem, limitei-me a ver o que existia hoje para substituir o meu sistema actual Olympus e por menos de 900 € ainda levo uma zoom de kit.
    Kit Canon M5 + 15-45 = 590 € + 105 € + 165 € = 860 €
    Kit Olympus E-M10 II + 14-42 EZ = 430 € + 220 + 277 = 927 €
     
  8. m4ndr4ke

    m4ndr4ke Power Member

    Eu penso que é maioritariamente pelo ecossistema.

    Não sei até que ponto isto é correcto, mas tenho uma certa ideia que parte significativa dos compradores de mirrorless vai atrás de vídeo, especialmente o 4k, algo em que a Canon tem andado atrás.

    Sim, falta IBIS.

    Depois, faltou e ainda faltam lentes. Para os amadores e entusiastas falta a tal zoom standard rápida nativa. Visto que essas lentes costumam ser um pouco volumosas, não atrai ninguém ter que usar a EF-S 17-55mm f/2.8 com adaptador.
    Faltam lentes 3rd party. Finalmente a Sigma lançou as primeiras.

    Foi faltando também o eye-AF, que só agora na M6 Mark II é que passa a estar presente neste sistema.

    As EOS M mais avançadas também continuam a ser feitas, no máximo, para amadores e entusiastas: nenhuma câmara ou lente tem weather sealing, nenhuma tem um grip vertical, e nenhuma dispara acima de 1/4000s, por exemplo.

    Há ainda a questão de marketing e, sobretudo, da social media: não vês os influencers a promoverem o sistema.

    Para agravar, saiu o sistema RF, e o mercado ficou na dúvida quanto ao futuro do EF-M (mas a Canon diz que vai continuar a existir).

    Confesso que várias vezes ponderei trocar o meu sistema APS-C por uma EOS M5, mas visto que a 80D era tão parecida e eu continuava a estar de pé atrás quanto às mirrorless, também eu nunca avancei.

    Quanto ao tamanho, isso é a engenharia da Canon a fazer das suas :P
    É a mesma engenharia que fez uma EF 50mm f/1.0, uma RF 28-70mm f/2, e tem registada uma patente para uma RF 14-28mm f/2
    https://www.canonrumors.com/fujifil...best-in-the-business-for-ease-of-lens-design/
     
  9. Meje

    Meje Power Member

    Pelo que andei a ler, o sistema EOS-M dificilmente terá uma zoom standard f2.8 constante, por causa do diâmetro das lentes. O máximo que o sistema tem até agora agora julgo ser na 50mm 1.8 que tem um diâmetro maior que as restantes lentes de 69mm. O tamanho do sensor não permite desafiar as leis da física, e é necessário um diâmetro superior, o que parece ser difícil de implementar nestes corpos (será mesmo assim ou será apenas uma questăo de opção da Canon para este sistema?). Uma sigma 17-50 2.8, uma canon 18-55 2.8 ou uma Fuij 16-55 2.8 têm um diâmetros de mais de 83mm. Fala-se que talvez uma 2.8-4 seja possível. O facto de a Canon ter muitos rumores de mais zooms lentas e primes apenas e nada do que mais notoriamente falta ao sistema, pode ser um mau sinal para quem quer ter no EOS-M um sistema mid range completo. Diz-se também que os investimentos neste mount vão ser bem mais reduzidos devido ao foco no novos mount FF. Acho que este sistema faz sentido para quem já tem um sistema Canon e quer um corpo mais compacto e mais algumas lentes compactas e depois vai usando o que falta com lentes DSLR.

    Por exemplo, a Olympus 12-40 2.8 Pro tem um diâmetro bastante respeitável para MFT de 70mm...

    Lamentavelmente acho que este sistema não vai dar para mim. Até a M6 II, mesmo sem EFV me estava a parecer uma muito boa opção...
     
    Última edição: 7 de Novembro de 2019
  10. MylleZ

    MylleZ Power Member

    Já viste a nova Nikon Z 50 (APS-C), com Z-Mount?
    É só dar tempo ao tempo, que as lentes começam a vir...
     
  11. Meje

    Meje Power Member

    A Z50 neste momento nem vale a pena olhar muito se o objetivo for ter lentes pequenas e decentes. Não entendo o lançamento nesta altura do campeonato de um "sistema novo" com duas lentes tão fracas. Lançaram a máquina por marketing apenas, para dizerem que também têm uma. Tenho sérias dúvidas que nos próximos meses algo de significativo mude.

    Dúvido muito que tudo isto aconteça nos próximos dois anos. Dúvido ainda mais que as zooms rápidas sejam pequenas. E ter a interrupção de distâncias focais nos 24mm é estranho.

    Também os preços serão uma incógnita...
     
    Última edição: 7 de Novembro de 2019
  12. MylleZ

    MylleZ Power Member

    Eu não tenho é dúvidas.
    A Nikon tem que se apressar para apanhar a concorrência.
    Tens a enorme vantagem em poder usar as lentes Nikon AF-S de maneira 100% fiável.

    Agora, se queres coisas compactas, não :p
     
  13. Meje

    Meje Power Member

    A questão aqui é mais essa. Como referi antes, não sentia muitas limitações de desempenho na D5200, a mudança deve-se essencialmente a tamanho, algo que o MFT consegue muito bem e com um lineup de lentes muito completo. Sendo possível resolver o problema do AF, acho que posso viver com as outras limitações.
     
  14. MylleZ

    MylleZ Power Member

    Eu passei por essa fase.
    Fiquei absolutamente deslumbrado mas, a pouco e pouco, descobri que não era tanto pelo tamanho, mas pelo sistema em si.

    Mirrorless é imensamente superior a DSLR.

    MFT é um sistema muito bom, e perfeitamente capaz para quase todos os tipos de foto (não gosto muito do sistema para macro e paisagem).
    Mas uso muito a GX9, mesmo assim.

    Cumps
     
  15. Meje

    Meje Power Member

    É por vários motivos, mas não teria motivos para fazer a mudança se não fosse pelo tamanho. Tendo dois sistemas e acabando por deixar o melhor em desempenho mais vezes em casa, isso quer dizer alguma coisa. Mas entendo o que queres dizer.

    Por acaso pensava que MFT seria bom para macro devido ao crop factor.

    Para paisagem a limitação eram as distâncias focais? Como nunca tive uma wide angle em Aps-c não irei sentir essa limitação (assim que tenha a 12-40). Acho que o modo de alta resolução da Olympus pode ser interessante para poder fazer crops mais wide sem sem perder muito detalhe.

    O meu problema com MFT é acima de tudo o AF. Tiro muitas fotos à minha filha a brincar e perco tantas por causa do AF. Onde vivo há vários eventos no exterior (celebrações, feiras, festas) e gosto de tirar algumas fotos rápidas sem dar muito nas vistas e também aí o AF falha algumas vezes (mas o equipamento é muitíssimo mais discreto). O desempenho com pouca luz o flash resolve em mais de metade das situações, nas outras muitas são exposições mais "longas" e aí conto com a estabilização para dar uma ajuda. Estou praticamente decidido, como já se viu.
     
  16. APedro

    APedro Power Member

    Epa são muitos posts para ir ler neste momento, só vi o tópico agora.

    Já pensaste na possibilidade de arranjar 2a mão/grey market? Uma x-t2 com grip já se arranja pelos 500€, uma vez que a x-t3 anda pelos 900€ e tal.

    Isso dá-te um orçamento bom para objectivas, uma vez que podes ir para uma 18-55 e uma 55-200.

    Não sei se ainda ponderas o sistema Fuji mas estas duas objectivas com uma x-t2 dá-te uma qualidade/portabilidade/preço brutal.
     
  17. Meje

    Meje Power Member

    Resumindo: Entretanto percebi que não ganhava nada em tamanho indo para Fuji (para além dos preços pouco convidativos de algumas lentes). Não sentia limitações de desempenho na D5200, não procurava um "upgrade" ao sistema Nikon, mas sim uma solução mais compacta, já que ultimamente fotografava quase só com a Olympus EM10 II com duas primes, mesmo ficando chateado com algumas limitações de lentes (essencialmente falta de zoom standard rápida e mais wide) e de desempenho (AF essencialmente). Cheguei à conclusão que só o sistema EOS-M tinha potencial para me resolver o problema, mantendo em APS-C. Mas este sistema tem sido muito negligenciado pela Canon em termos de lentes e por isso é uma opção muito incerta. Entretanto está a sair um corpo MFT com o state of the art em AF em MFT, sem custar mais de 1.500 €: a E-M5 III (terei de ver reviews quando já existirem unidades na rua).

    Acho que me vou manter no MFT, comprar um flash (Godox TT350o) e uma zoom standard rápida (Olympus 12-40 2.8 Pro) e depois mais tarde penso no upgrade ao corpo.

    Entretanto já vendi a Tamron 70-300 CV e a Sigma 17-50 2.8. Estou a tentar vender o combo D5200+35 mm + flash + bateria extra, mas o máximo que me ofereceram foram 250 €, por isso vou esperar por melhores propostas. Assim que venda este combo, se não tiver conseguido nenhum bom negócio em usados, vou comprar o flash e a lentes novos (em Gray Market).
     
  18. Catrabinas

    Catrabinas Power Member

    alguém usa uma dslr e uma mirrorless (ou que tenha trocado) sem viewfinder? dá para adaptar bem? ou é estranho?

    não falo de uso profissional, apenas para matar o vicio porque a d5100 está encostada faz tempos, já não tenho paciência para carregar aquele peso com a sigma.
     
  19. Meje

    Meje Power Member

    Eu há pouco tempo pensei nessa questão por causa ca canon M6 II e tenho reparado mais na forma como uso a minha Olympus E-M10 II e claramente uso-a mais vezes olhando para o ecrã, especialmente com ele ligeiramente rodado cima para ter a máquina mais baixa que a minha cabeça. Acho que uso o EFV essencialmente quando há sol muito forte, em que apesar de dar para o usar o ecrã na mesma, acabo por ver melhor pelo EVF.

    Vais sentir falta algumas vezes, mas acho que para "matar o vicio" dá para viver sem o EFV.
     
  20. xukuru

    xukuru Power Member

    Tenho uma Canon 6D. Andei uma semana com uma Sony A7ii emprestada e não me lembro de ter usado o EVF.